Prophajnt, a influência de Dio para a banda e faixa exclusiva do novo EP

sábado, 18 de maio de 2013


Do estilo clássico do Heavy Metal até as baladas Hard Rock, a Prophajnt consegue unir peso, técnica e originalidade nas músicas próprias e um repertório saudosista e muito bem executado de tributos a Ronnie James Dio e Iron Maiden.
A banda foi fundada em 2007, quando Veronica e Márcio se conheceram na faculdade. Da afinidade entre os dois, nasceu a Prophajnt. Atualmente a formação completa conta com Verônica Pasqualin nos vocais, Gustavo Refosco no baixo e backing vocals, Márcio Ritter na guitarra, violão e teclados e Rodrigo Marques na bateria.
Nestes 5 anos de história, eles já passaram por Porto Alegre, Canoas, Cachoeirinha, Gravataí, Novo Hamburgo, Sapucaia, São Leopoldo, Butiá, Santa Cruz e Santiago. A divulgação em meio digital das músicas começou em 2010, com o lançamento do single "Pain on my soul", que garantiu a banda ficar entre as seis finalistas do Rapsódia n.º 1 (Festival de Música Livre de Cachoeirinha).
Em 2011 a banda entrou em estúdio e até 2012 gravou seu primeiro EP "A New beginning", com a produção de Mateus Borges. O lançamento do EP, que sairá de forma digital e física, está marcado para o primeiro semestre deste ano.

Mas, para matar um pouco nossa curiosidade, a Prophajnt liberou uma faixa exclusiva do EP!







Para quem ainda não viu a banda ao vivo, um vídeo deles tocando um dos maiores clássicos na voz do Dio, Heaven and Hell:


video


O vídeo foi gravado no festival Monsters of Metal, organizado pelo César Braga, Luiz Rauber e eu, em Santiago. Coincidentemente, o festival começou no dia 15 de maio de 2009 e foi até o início da manhã de 16, infeliz data da morte de Dio.

Além de influência para a banda, o Dio é uma das principais referências para a vocalista Veronica Pasqualin. Confira na entrevista:

ALL THAT METAL: De que forma o Dio influenciou e influencia a banda? 
Veronica Pasqualin: Acreditamos que as músicas da Dio combinam com o estilo da Prophajnt, no sentido que nos identificamos com a interpretação, a emoção e a veracidade que o Dio imprimiu a elas. Acreditamos que as músicas dele nos mostram como cada instrumento é funcional, que está ali por algum motivo, não apenas para mostrar algum virtuosismo.

ATM: Por que vocês escolheram fazer shows em tributo a ele? 
Veronica Pasqualin: Escolhemos fazer um tributo ao Dio para prestar uma homenagem a ele, porque gostamos muitos das músicas dele e porque percebemos que não havia bandas que faziam isso.

ATM: Como Dio entrou na tua vida? 
Veronica Pasqualin: Bom, quem me apresentou o Dio foi o Márcio Ritter, quando estávamos estudando na faculdade. Um dia, tinha ouvido a "Holy Diver" e fui apresentar para ele. Minha supresa foi saber que ele era super fã do Dio,que tinha ido ao show e até apertado a mão do cara (fato que, toda vez que ele nos lembra, nós o xingamos muito)! Daí, ele me indicou a discografia do Dio e comecei a ouvir direto! Depois, veio a ideia de começar a cantar as músicas dele e, com isso, eu comecei a perceber também a baita responsabilidade que se tem ao fazer isso, justamente pelo ícone que o Dio é para tanta gente.

ATM: Conhecer mais o trabalho dele mudou de alguma forma tua posição como vocalista e "frontwoman"? 
Veronica Pasqualin: Sim, com certeza! Desde que conheci o Dio, fico fascinada com a interpretação, a técnica e o "feeling" que ele dá às músicas! Fico pensando que, se eu puder passar uns 10% do que ele faz, já serei uma cantora muito satisfeita. Ele me ensina, na prática, que tudo tem o seu lugar no canto, seja um vibrato, um parte mais agressiva, ou mais suave, tudo mesmo. E, quando eu canto qualquer música, tento sempre levar essas lições comigo.

ATM: Qual o maior legado que o Dio deixou para ti como profissional e fã do cara?   
Veronica Pasqualin: Bom, além de ser um ótimo cantor, o Dio também era uma pessoa muito educada e diplomática. Então, acho que ele, além de ensinar como a cantor deve cantar, também nos deixa lições de como se agir quando se está no meio musical. E, claro, ele nos deixa toda a obra musical, em todas as bandas pelas que passou.

ATM: E agora, qual teu álbum preferido dele e quais músicas? São as mesmas do repertório da banda? 
Veronica Pasqualin: Bom, o meu CD preferido é o "Holy diver". Tenho um carinho especial por ele porque foi o primeiro que ouvi. Na Prophajnt, tocamos hoje várias desse disco e já fizemos um show tributo em que tocamos todas as músicas do "Holy Diver". As minhas favoritas são a "Caught in the middle", pela composição e letra que ela tem e pelas linhas de voz principal e backing vocal, que curto muito. É uma música que tem um significado tão especial para mim que a escolhi para minha formatura na faculdade! Além dessas, também gosto muito da "Don't talk to strangers", também pela composição e letras, e da "Stand up and shout", pela pegada que ela tem.

O site oficial da banda ainda está nos ajustes finais para ser lançado em breve. Nele haverá notícias, biografia, fotos, vídeos, agenda e o mais importante, uma Loja Virtual, onde será possível comprar o EP e qualquer outro tipo de material de divulgação da banda, com envio nacional e internacional.

Em junho a banda tocará no Eclipse Bar, em Porto Alegre.
Para acompanhar a agenda de shows e conhecer mais da Prophajnt, curta a página no Facebook e acesse: Youtube | Twitter | MySpace | Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário